Author Archives: Pedro Ramos

O que é a Black Friday e como fazer sua loja vender mais nesta data?

Na história, o termo Black Friday já foi associado a diversos acontecimentos, mas, hoje, em alguns países, representa uma data em que são oferecidos descontos para produtos e uma grande quantidade de vendas é realizada.

Quem criou e quando foi criada esta data?

Esta denominação atual foi criada pelo sistema capitalista, mais especificamente na cidade da Filadélfia (Pensilvânia/Estados Unidos), no começo dos anos 90.

Quando é comemorada?

Esta não é uma comemoração, sim o nome de um dia, uma data. A data é relacionada ao feriado norte americano chamado feriado de ação de graças que é comemorado toda quarta (geralmente última) quinta-feira do mês de novembro. O dia seguinte à quinta feira da ação de graças é a chamada Black Friday. As gigantes do varejo no Brasil decidiram importar e utilizar o termo Black Friday pela primeira vez em 2010. Primeiramente englobou cerca de 50 grandes empresas, mas desde então já foi adotado por empresas de todos os portes e de todo o Brasil.

Tenho uma loja física ou virtual. Como posso vender mais?

Caso saiba aproveitar, esta data pode ser uma boa oportunidade de sua loja vender mais e ter um lucro não esperado pelo menos para uma sexta feira normal ou até mesmo uma oportunidade para queimar todo aquele estoque encalhado.

Segue algumas dicas úteis para vender mais nesta data:

  • Planeje com antecedência. Mesmo que esteja lendo isso em uma Black Friday pode ser que ainda de tempo de trazer algum resultado, mas, o ideal é fazer o planejamento com antecedência. Algumas empresas realizam até mesmo um esquenta Black Friday, já com promoções dias antes da data. O ideal é avisar seus clientes de alguma forma pelo menos um dia antes da data E/ou, durante a data, o mais cedo possível.

 

  • A forma de avisar é muito importante. Dependendo da campanha, pode trazer pouco ou nenhum resultado. Por exemplo, para uma loja virtual, tentar comprar cliques para o termo “Black Friday” pode ser desperdício, visto que, o preço pode estar alto demais. É preciso analisar caso a caso. Para uma loja física, distribuir panfletos e colocar avisos no próprio estabelecimento podem ser boas alternativas. No caso de lojas virtuais, boas opções podem ser enviar e-mails (cuidado com as palavras para não cair nas caixas de spam), divulgar nas redes sociais e no próprio site.

 

  • Não anuncie promoções falsas. Além de poder trazer problemas futuros, um cliente que já conhecia seus preços e descobre que o desconto é real tem muito mais chances de comprar. Caso o preço já seja justo demais, poderá oferecer algum serviço, benefício ou até um brinde para diferenciar.

 

Apesar de alguns ainda “torcerem o nariz” para a data por questões ideológicas, aproveitar toda o clima e sentimento de compra despertado pelas grandes empresas pode ser uma opção para impulsionar suas vendas de alguma forma.

Publicado por:

12 dicas de SEO para sua loja virtual subir de posição no Google

Aproveitem e sigam estas preciosas dicas de SEO para fazer sua loja virtual subir nas buscas do Google e outros motores de busca.

Caso siga estas dicas de SEO, sua loja terá muito mais chances de ficar bem posicionada no Google. Elas foram elaboradas por nossa equipe com cerca de 10 anos de experiência em e-commerce e baseadas na análise do desempenho nas vendas de mais de 4800 (quatro mil e oitocentas) lojas virtuais presentes em nosso shopping virtual. Diversas empresas ou mesmo pessoas físicas/vendedores de produtos na internet, depois de algum tempo pagando altas taxas de anúncios e comissões, acabam descobrindo as diversas vantagens de criar uma loja virtual própria, mas, também descobrem que não basta criar uma loja e deixá-la bonita, bem configurada. É preciso divulgá-la. Isso mesmo, divulgar para ser mais divulgado. Grande parte das pequenas e médias empresas que vendem pela internet, já perceberam que, em vez de gastar com taxas de anúncio e comissões em Marketplaces como o Mercado Livre, CNOVA, Submarino, etc, é mais vantajoso investir na divulgação da loja virtual própria, pois, o retorno (não somente financeiro) costuma ser muito maior. Sem contar o fato de passar mais profissionalismo e promover a marca própria. Nossas lojas são integradas com Marketplaces e claro que é muito mais cômodo somente anunciar e esperar vender, mas, tudo tem um preço e o preço, neste caso, vai além da comissão, pois, a loja será só mais uma entre várias e não terá o benefício de ter um nome, uma identidade, uma marca que, quem conhece, confia e recomenda, o que pode trazer clientes de fontes diferentes.

Além de divulgações pagas, também há diversas formas gratuitas de divulgar sua loja virtual/empresa.  Uma delas é o resultado da busca em sites de pesquisa, como o Google, as chamadas buscas orgânicas, que será o nosso foco. Neste artigo daremos preciosas dicas sobre como melhorar o posicionamento de sua loja na internet e/ou produtos aparecerem com boa colocação nos resultados das buscas orgânicas. Caso precise de dicas mais completas e genéricas para vender mais, por favor, confira nosso artigo que fala sobre como alavancar as vendas na internet. As dicas são baseadas nas recomendações do próprio Google, pesquisas, testes e análise das lojas que vendem mais. Apesar de o texto focar no Google (o mais utilizado), as dicas também servem para outros motores de busca, como o Bing e Yahoo. Caso já possua uma loja virtual, confira as dicas, que estão em ordem de importância/relevância, para melhorar a posição no Google:

1. Divulgue sua loja virtual, suba nas buscas e venda mais.

Esta dica parece óbvia, mas, quanto mais popular for sua loja, melhor posicionada ela será. Vídeos no Youtube, popularidade em redes sociais e até mesmo propagandas pagas podem fazer seu site subir nas pesquisas (buscas orgânicas).

Diagrama de backlinks

Backlinks

– Backlinks. Quanto mais existir links na internet que apontam para sua loja, melhor posicionada ela ficará nas buscas, pois, significa que ela é popular. Esta dica já é antiga, mas, ainda bastante válida e considerada. O que mudou é apenas a consideração da qualidade dos links, ou seja, hoje, links em bons sites tem muito mais valor que links em sites com pouco conteúdo e sites novos. Cuidado, pois, hoje, alguns backlinks podem até atrapalhar no ranqueamento de seu site, como links em sites de troca de links, usados somente para esta finalidade, a de aumentar o número de backlinks. O Google penaliza lojas que fazem cadastro em sites de troca de links. O ideal é ter links para sua loja em sites com o mesmo assunto ou textos relacionados aos seus produtos. Quanto melhor é o site que divulga seu link, melhor é o ranqueamento e a autoridade do domínio divulgado.

-Mas, como conseguir bons backlinks?

Há diversas formas diferentes. Em nosso shopping virtual, todos os produtos de todas as lojas são automaticamente divulgados, criando backlinks, mas, nem sempre isso é suficiente. Para um distribuidor, por exemplo, pode solicitar ao fabricante que coloque um link no site dele, dentro de uma parte do site de fabricantes comumente chamada “Distribuidores oficiais”. Para alguém que vende roupas, pode ser interessante conseguir um link em um blog que fale sobre o assunto, por exemplo (roupas para bebê, militares, esportes, etc). Se o link estiver em algum local com assunto relacionado ao produto, trará melhores resultados. Uma dica é fazer uma pesquisa sobre assuntos relacionados a seu produto, ver os principais resultados e entrar em contato solicitando a indicação e inclusão do link. Existem muitos blogs e sites são especializados nisso. Eles falam um pouco sobre o assunto (como se fosse opinião neutra) e depois recomendam o produto ou indicam a loja, informando o seu link/url. Mesmo empresas grandes, em sites conhecidos, que falam bem ou mal sobre um carro, um celular ou determinado produto, frequentemente recebem para dizer o que dizem.

2. Utilize textos únicos no título dos anúncios.

Sabemos que é difícil, mas, devemos tentar ao máximo diferenciar o título do produto. Uma dica para saber se o título já existe, é procurar entre aspas no Google. O título deve conter as palavras que podem ser digitadas no campo de busca quando alguém estiver procurando por seu produto. Tente deixar o título do produto o mais específico possível. Se o mesmo título já existir em outro site, muito provavelmente o anúncio mais antigo ficará na frente no resultado das buscas.

3. Unboxing.

Esta é uma dica muito interessante, que pode trazer ótimos resultados. Unboxing, nada mais é do que um vídeo mostrando um produto novo, na caixa, sendo desembrulhado. Desde pelo menos o ano de 2013 esta prática vem crescendo em ritmo acelerando devido ao grande número de views que estes vídeos podem alcançar. Fazer um vídeo sobre seus produtos, tirando-os da caixa e/ou sacola, mostrando e comentando as características visuais, em alguns casos, mostrando o funcionamento deles, pode fazer com que seus produtos sejam bastante acessados. É impossível prometer alta quantidade de vendas, mas, fazer pelo menos um vídeo de cada produto da loja pode ajudar e muito. No vídeo é importante escolher bem o título dele, colocando palavras-chave que os prováveis interessados em seu produto poderiam digitar no campo de busca e, principalmente, um título que desperta a curiosidade de assistir. Ainda no título do vídeo, colocar o modelo do produto é muito importante. Em alguns casos, também pode ser interessante adicionar a palavra unboxing ou mesmo “desembrulhando” no título do vídeo. Também é importante colocar o link para seu produto no vídeo e/ou descrição dele. Além dos clientes diretos que podem assistir ao vídeo e depois ir para a página de seu produto, também é uma fonte de backlinks (mesmo com “nofollow”).

4. Utilize textos exclusivos e tags HTML na descrição.

Assim como no título dos produtos, é extremamente importante não utilizar textos copiados da internet para a descrição, pois, em vez de alavancar o site, um texto copiado e sem referências ao autor (plágio), além de ficar posicionado atrás dos textos mais antigos (geralmente nas últimas páginas) pode impactar de forma bastante negativa no posicionamento. Recomendamos a utilização de textos completos, que contêm as palavras chave cujo potencial cliente pode digitar quando estiver procurando o que você anuncia e, o mais importante, com textos exclusivos de quem anuncia. No caso da descrição, como ela geralmente é mais longa que o título (recomendável) se ela tiver um tamanho razoável e for escrita pelo próprio anunciante, dificilmente existirá uma igual na internet e não há motivos para pesquisar procurando iguais. Utilize recursos como negrito, itálico e sublinhado para destacar as palavras que considera importantes no texto.

5. Boa categorização dos produtos de sua loja.

As categorias/departamentos são extremamente importantes para uma boa indexação de sua loja. Alguns sites de e-commerce, em vez de divulgar determinado produto, divulgam o link para determinada categoria. Utilize nomes de categorias iguais ao que potenciais clientes provavelmente digitarão no campo de busca quando estiverem procurando seus produtos.

Deixe seus produtos bem categorizados

Resultados apontando para categoria.

É recomendável realizar um planejamento da estrutura de categorias de suas lojas e quais produtos serão inseridos dentro delas. Caso sua categoria seja bem divulgada, realmente possua produtos relacionados e tenha um bom nome, provavelmente, bons resultados virão.

6. Não utilizar imagens que já existem na internet.

Apesar de nosso sistema transformar as imagens utilizadas no anúncio dos produtos, o Google, em alguns casos, pode conseguir identificar que a imagem foi copiada e dar preferência ao site que possui a imagem mais antiga. Recomendamos que, mesmo se decidir utilizar imagens com direitos autorais livres ou que permitem a utilização, realize modificações/personalizações nas imagens com algum editor para que ela seja única.

7. Fugir da concorrência ou bater de frente.

Primeiramente: conheça seus concorrentes. Sim, sabemos que é bastante difícil competir com os grandes, porém, caso seu produto seja bastante comum, como celulares, será preciso enfrentar os grandes. Neste caso, utilizar a criatividade na divulgação é muito útil. Por exemplo, fazer vídeos no Youtube (ver unboxing) apresentando seu produto e, caso possua um estoque grande de determinado modelo, invista na promoção e divulgação do modelo. Por exemplo, divulgar no Facebook  um texto falando do modelo XYZ, explicando funcionalidades, destacando a palavra “XYZ” e dando ênfase para ela, tornando o modelo ou característica específica do produto (ex: firmware atualizado) sua palavra chave principal. É possível divulgar, por exemplo, alguma forma de contornar um problema conhecido do modelo, para que pessoas realizem perguntas. Não esqueça de colocar o link para seu produto (já com o problema solucionado ou não). Todos sabemos que, caso seus produtos sejam únicos ou a concorrência seja baixa, tudo se torna mais fácil. A tarefa de brigar com a concorrência desleal dos grandes e deixar o link para sua loja na frente de sites como o Mercado Livre nas buscas orgânicas, pode ser mais trabalhoso e menos rentável do que criar um grupo no facebook e investir nele, deixando sempre ativo, com atividades constantes, respondendo perguntas e atraindo novos clientes. Muitas vezes as vendas podem vir majoritariamente de grupos no whatsapp ou facebook. A divulgação em grupos do whatsapp pode trazer bons resultados diretamente, mas, não vai influenciar muito nas buscas orgânicas. Influenciará somente pelo fato de que quanto mais popular for sua loja, melhor posicionada ela será. Já no caso do facebook, mesmo se preocupando somente com os compradores diretos (aqueles que visualizam a publicação e vão para a loja comprar) o Google também registra a atividade na rede social e pontua na classificação/posicionamento (ranqueamento) da loja, melhorando também a autoridade do domínio. A autoridade do domínio é muito mais importante que configurações internas da loja, como tags e outras configurações e está diretamente relacionada com divulgação do domínio.

8. Encontrar as melhores palavras-chave

O segredo para escolher a melhor palavra-chave para você divulgar, é encontrar a palavra relacionada ao seu produto que é mais buscada e que possui menor concorrência. Não estamos falando somente da meta tag chamada keywords. As palavras chave utilizadas na tag keywords já não são mais tão consideradas. Hoje, as palavras chave devem ser utilizadas no nome do produto, nome da categoria e descrição. O próprio Google disponibiliza uma ferramenta que pode ajudar no planejamento de palavras-chave. Palavras com bastante concorrência também devem ser analisadas, porém, as que possuem concorrência menor, podem trazer melhores resultados. Utilizar tags de negrito (<b>), itálico (<i>), sublinhado, entre outras como <h4> ou <h3> (nos subtítulos) para destacar suas palavras chave podem ajudar bastante, porém, a configuração interna da loja é importante e pode estar perfeita, mas, sem divulgação (mais importante), muito pouco irá adiantar.

9. Não exagere nas palavras-chave

É recomendável que a quantidade de palavras chave em seu texto não represente mais do que 4% do total de palavras. Caso as palavras sejam repetidas de forma exagerada, sua loja poderá ser punida e cair nos resultados das buscas. Também é importante não utilizar apenas as palavras exatas, lembrando que, mesmo utilizando variações para as mesmas palavras chave, elas são contabilizadas e de maneira alguma não podem representar mais do que 5% do total de palavras do total. Por exemplo, se uma palavra já faz parte do título do produto e da categoria, não repita propositalmente várias vezes a mesma palavra na descrição do anúncio, pois, ele poderá ser penalizado.

10. Adicionar vídeos aos anúncios de produtos

Caso sua loja virtual esteja em nossa plataforma, basta informar o link/url do vídeo no momento do cadastro do produto, para o vídeo que criou. Vídeos também podem ser colocados em outras páginas da loja, para melhorar o posicionamento delas. Ao criar um vídeo, lembre-se de colocar referência (link) para seu produto ou categoria. Além de melhorar o SEO do anúncio, vídeos como os do Youtube possuem bom posicionamento nas buscas orgânicas, além de aparecerem nas buscas do próprio site de vídeos (como o youtube), o que torna-se outra forma de divulgação. O conteúdo do vídeo pode ser variado. Geralmente é um vídeo explicando sobre o produto, mas há várias opções que só dependem da criatividade. Uma das melhores opções são vídeos de “faça você mesmo” no qual o título diz: “Como solucionar…”, “Como fazer…”, “Como configurar…”, “Faça seu próprio…”, “Você mesmo pode…”, etc, oferecendo conhecimentos técnicos que permitem a quem está vendo o vídeo fazer algo sozinho, mas, que precisa comprar seu produto para realizar a tarefa. Nem sempre é simples produzir vídeos para determinados tipos de produtos e alguns exigem bastante criatividade. Na dúvida, caso esteja sem ideias, ler sobre o unboxing, que serve para praticamente qualquer produto físico. Não serve para venda de serviços, mas, fazer um vídeo para propaganda de serviços, geralmente, é mais simples. É importante despertar a curiosidade do cliente no título e colocar as devidas palavras chave, para que o vídeo leve o cliente ao seu produto (não esquecer dos links para ele), mas, colocar o vídeo na própria página do anúncio/produto também é importante, pois, pode convencer um cliente que chegou ao anúncio de uma forma diferente (que não foi pelo vídeo) e induzi-lo à compra depois de assistir ao vídeo que está no corpo do anúncio.

11. Apostar em palavras-chave longas

Palavra-chave longa não é uma palavra com diversas letras, mas, sim, uma frase com 3 ou mais palavras. Por exemplo, caso sua loja venda acessórios para celular, pode ser mais interessante investir na divulgação de “Carregador portátil para celular” do que simplesmente “Carregador de celular” ou “Carregador portátil” quando for criar uma loja virtual, descrever seus produtos ou ainda criar uma campanha de divulgação na internet (ver item 1). Para saber quais são as palavras chave mais buscadas, o dono da loja pode utilizar o Google trends. Ele não mostra a quantidade de buscas de cada termo, mas, dá pra comparar frases e saber qual delas é mais procurada.

12. Foco em um produto ou categoria de sua loja

Manter o foco forte na divulgação de seu principal produto ou categoria, pode trazer melhores resultados que divulgar todos os produtos. Caso os demais produtos sejam relacionados com o principal, esta estratégia pode ser ainda melhor. Ao focar em um produto, pode ser mais fácil vender 10 unidades do mesmo produto e alguns relacionados à ele do que uma unidade de cada produto diferente.

Publicado por:

Qual é melhor? PagSeguro, Bcash, Paypal ou Moip?

Os intermediadores de pagamento são utilizados principalmente por pequenas e médias empresas que possuem lojas virtuais, por trazerem algumas vantagens sobre as integrações diretas com as empresas de cartão ou gateways. Para explicar os benefícios, podemos citar:

  1. Possibilidade de que lojas virtuais disponibilizem formas variadas de pagamentos sem a necessidade de diversas filiações.
  2. Burocracia reduzida.
  3. Eliminação da necessidade de contratar empresas de análise de risco.
  4. Maior capital de giro, visto que o pagamento, mesmo que parcelado, é liberado integralmente em cerca 14 dias, frente ao recebimento parcelado após 30 dias da integração direta.
  5. Contornar parcialmente o problema que as empresas que ainda não possuem um nome conhecido enfrentam para passar segurança e confiança aos compradores, pois, eles sabem que, ao utilizar um intermediador, poderão contestar o pagamento caso não recebam o produto/serviço.

Sobre as desvantagens, a principal é a porcentagem sobre vendas, que fica em torno de 1% a 2% mais caras, porém, como na integração direta as taxas são negociadas com base no ramo de atividade e quantidade de vendas, na conta final, a menos que sua loja possua um volume realmente grande de vendas, a utilização de um intermediador é mais vantajosa, ou seja, a integração direta só vale à pena para lojas com quantidade grande de vendas.

Caso possua uma loja que ainda está começando e/ou ainda não possui volume grande de vendas e já esteja decidido em utilizar um intermediador, veja uma comparação entre os principais:

Logo do Pagseguro

Pagseguro

PagSeguro: O PagSeguro é um intermediador de pagamento que oferece todo o suporte necessário para os brasileiros, atualmente não só tornando-se um método online, mas expandindo seus serviços para atender empresas físicas, com a venda de uma máquina para leitura de cartão de crédito e débito.

Vantagens: Cadastro em alguns minutos, elimina burocracia para recebimento do vendedor e aceita todas as principais formas de pagamento (boleto bancário, cartão de crédito para parcelamento, etc.)

Desvantagens: Prazo de liberação do valor em 14 dias.

Taxas: Para vendas pela internet, por transação, há taxa de 4,99% para recebimento em 14 dias ou 3,99% em 30 dias + R$0,40. Para saques, o primeiro saque do dia é gratuito, do segundo em diante é cobrada taxa de R$3,50.

Logo do Bcash (antigo Pagamento Digital)

Bcash (antigo Pagamento Digital)

Bcash: O Bcash (antigo Pagamento Digital) oferece uma solução para pagamento rápido e fácil, sendo utilizado em e-commerce e blogs e alcançando o crescimento e sucesso gradualmente, pois muitos ainda não possuem conhecimento do serviço. É da empresa Buscapé.

Vantagens: Oferece condições especiais para anúncios no Buscapé e aceita diversos métodos de pagamento, disponibilizando segurança aos consumidores.

Desvantagens: É pouco divulgado e necessita de 14 dias para liberação do dinheiro ao vendedor.

Taxas: A tarifa cobrada para todos os serviços é de 4,95%, com exceção da taxa para saque que é de R$2,50 para saques com valores inferiores a R$ 250,00.

Logo do Paypal

PayPal

Paypal: A chegada do Paypal ao Brasil deu-se pela necessidade que muitos compradores encontravam para realização de compras no exterior, permitindo adquirir produtos e serviços de sites estrangeiros, principalmente com suporte direto ao Ebay. Foi um dos primeiros a atuar no mercado brasileiro.

Vantagens: É um dos meios mais rápidos e seguros de comprar no exterior pela internet. O consumidor pode tirar suas dúvidas rapidamente, além de possuir uma política de fácil entendimento.

Desvantagens: Altas taxas cobradas, podendo inviabilizar o uso de vendedores brasileiros. Alguns utilizadores apresentam problemas burocráticos e demora com o cadastramento de contas correntes e cartões e crédito do Brasil por conta da plataforma criada no exterior.

Taxas: A tarifa é uma das mais altas. Para boleto e cartão de crédito é cobrado o valor de 6,4% sobre o valor da venda mais a taxa de recebimento por transação, que é de R$0,60.

Logo do Moip

Moip

Moip: O Moip é um gateway de pagamento adquirido pelo IG, inserindo diversas funcionalidades para os usuários e possibilidades de compra para os usuários, filiando-se a muitas lojas como o principal método para aquisição de produtos e serviços.

Vantagens: Aceita pagamentos online e offline e assegura o recebimento do produto ao comprador e o dinheiro ao vendedor. Apresenta flexibilidade quanto aos métodos disponíveis aos consumidores.

Desvantagens: O site pode mostrar-se pouco confuso para muitos consumidores, além de possuir altas taxas de cartão de crédito que podem ser desfavoráveis. O atendimento para sanar dúvidas é demorado.

Taxas: Para boleto bancário, a taxa cobrada é de 2,90%, enquanto para cartão de crédito aumenta para 7,40%. Ainda há a taxa para recebimento por transação que é de R$0,39.

Publicado por: